Home Blog do Willians Notícias 63% dos funcionários em atuação nas escolas não receberam equipamentos de proteção

63% dos funcionários em atuação nas escolas não receberam equipamentos de proteção

8 min read
0
0

O Sindserv (Sindicato dos Servidores Públicos de Santo André) divulgou uma pesquisa sobre as condições de trabalho dos profissionais da Educação em meio à pandemia da Covid-19. “A pesquisa mostra que 63,6% dos servidores administrativos/operacionais não receberam da Prefeitura os EPIs (Equipamentos de Proteção Individual) necessários e somente 36,4% confirmaram o recebimento”, afirmou o Sindserv.

O levantamento do Sindicato revela que apenas os funcionários da educação que atuam nas áreas administrativas e operacionais (21%) estão trabalhando nas unidades escolares e que os demais 79% (professores) estão realizando as atividades de forma remota.

Com relação à frequência, 52,9% dos servidores administrativos e operacionais disseram que foram convocados para trabalhar três vezes por semana; enquanto 41,2% uma vez por semana e apenas 5.9% todos os dias.

Testagem e retorno às aulas

Segundo o Sindserv, a pesquisa também constatou que a grande maioria (95,7%) dos profissionais da educação (que inclui professores e servidores administrativos/operacionais) não fez o teste contra a Covid-19 divulgado pela Prefeitura e somente 4,3% fizeram.

“Na pergunta espontânea feita pelo Sindicato sobre o retorno às aulas em setembro, a grande maioria manifestou preocupação e afirmou que não se sente segura em trabalhar nas escolas/creches por causa da pandemia que continua elevada”, informou a entidade sindical.

COVID-19: adoecimentos/afastamentos

Perguntado pelo Sindicato se fazem parte do grupo de risco da Covid-19, 69,7% (professores e servidores administrativos/operacionais) disseram que não integram esse grupo e somente 30,3% afirmaram que sim.

O Sindicato perguntou ainda se os professores/educadores tomaram conhecimento de casos da doença entre os funcionários da escola na quarentena e 45,4% disseram que sim, 29,7%que não e o restante não soube informar.

Ao responderem se tiveram conhecimento de educadores/profissionais da educação que foram afastados por estarem com covid, 59,1% confirmaram que sim, 35,7% disseram que não, 1% disse que está em home-office e o restante desconhece o fato.

Dinâmica das atividades escolares | Professores

Perguntado aos professores se a Secretaria de Educação fez a consulta sobre a dinâmica de entrega de atividades feitas nas escolas durante a pandemia, 54,3% disseram que foram consultados, 15,9% informaram que não e 29,8% responderam que não são professores.

O Sindicato também perguntou se o professor/professora se sentiu contemplado sobre essa dinâmica da Secretaria neste tempo de quarentena: 48% responderam que sim, 23,5% disseram que não e 28,5%responderam que não professores.

Também foi perguntado ao professor/professora se tiveram que ir às escolas na quarentena: 40,5% disseram que não foram convocados; somente 20,3% disseram que foram para organizar o material escolar e 3,9% disseram, pelo menos, uma vez por semana.

Dinâmica das atividades escolares | Profissionais da Educação

O Sindicato fez a mesma pergunta dos professores aos profissionais da educação se foram consultados pela Secretaria sobre a dinâmica de entrega de atividades feitas nas escolas e 63,6% disseram que sim e 36,4% não.

Dados

O Sindserv afirmou que o levantamento foi realizado na primeira quinzena de julho e recebeu 349 respostas de professores e servidores que atuam nas áreas administrativas/operacionais (serviço de limpeza, inspetores, merendeiras e agente de desenvolvimento infantil) que trabalham em creches e Emeifs (Escolas Municipais de Educação Infantil e Ensino) da cidade.

Resposta da Prefeitura de Santo André

A Prefeitura de Santo André emitiu uma nota oficial. Lei a íntegra:

“A Secretaria de Educação informa que as unidades escolares estão em funcionamento exclusivamente para o atendimento presencial por agendamento. Para esse atendimento, a Pasta recomenda que a presença dos funcionários seja escalonada.

Desta forma, a presença dos servidores nas escolas é extremamente reduzida, embora existam diferenças entre uma unidade e outra em razão de um maior ou menor número de funcionários no grupo de risco.

A Secretaria acrescenta que foram disponibilizadas máscaras para todos os funcionários das escolas e também álcool em gel. O uso de luvas somente é indicado pela Secretaria de Saúde para os profissionais responsáveis pela troca de fraldas dos bebês, atendimento que está suspenso no momento.

Destacamos que a “denúncia” ou pesquisa do Sindserv não teve base estatística ou científica. Lamentavelmente em ano eleitoral “estudos” e “denúncias” desta ordem surgem para tentar desqualificar a qualidade do trabalho feito por nossos profissionais da saúde, da prevenção e das demais secretarias municipais”.

Quer mais assuntos assim?

Receba nosso boletim direto para sua caixa de entrada!

Não se preocupe, nós não enviamos spam

Carregar mais notícias
Load More In Notícias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja

Vereadores se reúnem para debater mudanças na Lei Orgânica da Cidade

A Comissão de Assuntos Relevantes que visa a elaboração e apreciação de estudos referentes…